Estudar escrevendo ou digitando? Saiba qual é a melhor forma.

É melhor estudar escrevendo ou digitando? Saiba qual é a melhor forma, baseado nas descobertas das neurociências sobre o funcionamento do cérebro. O computador é um recurso importante para os estudos. Em muitos casos, indispensável. Contudo, é importante saber que há um detalhe que faz toda a diferença…

Escrevendo ou digitando você grava… em lugares diferentes!

Esta é a questão: qual é a forma, na prática, que rende melhor?

Parece ser digitando, afinal é mais rápida e dá a impressão de ser a evolução da escrita manual. Caderno seria coisa do passado. Estamos na “era digital”.

O fato no entanto é que, na hora da prova você precisa ter o conteúdo gravado na cabeça. Precisa ter aprendido bem a matéria. Lá você não poderá usar calculadora, muito menos um notebook.

Escrevendo no caderno você grava na cabeça; digitando, grava na memória do computador. Mesmo escrevendo, a gravação também depende de concentração e emoção. Não funciona escrever no “modo automático” ou sem atenção.

A razão para isso acontecer está no funcionamento do nosso cérebro. Trata-se do quanto o cérebro está envolvido durante a atividade em questão. Escrever naturalmente envolve mais que digitar. Exige mais esforço.

PET SCAN – escaneando a “caixola”!

A tecnologia desenvolvida para escanear o cérebro permitiu observar a diferença, comparando uma palavra digitada e escrita, usando o PET SCAN.

Se escrevemos, por exemplo, “ba” à mão, estaremos envolvendo muito mais regiões do cérebro do que se estivéssemos digitando as mesmas letras. O PET SCAN mostra que mais regiões se “acendem” ao escrevermos com um lápis do que com um teclado. (Inteligência em concursos)

Lembrando, no momento da prova é só papel, caneta e lápis. Mesmo se acontecer de futuramente “modernizar”, com provas feitas direto no computador, mesmo assim não dispensa o trabalho de aprendizado, da forma como funciona realmente.

O que descobriram com o recursos do PET SCAN é a relação entre o nível de envolvimento do cérebro com o seu desenvolvimento, ou seja, quanto mais envolvimento ou mais regiões se “acendem”, mais o cérebro aprende. Quanto mais você está envolvido no estudo, maior o rendna atividadeimento. Envolvido, concentrado e empolgado o máximo possível, além de estar produzindo, escrevendo.

Se você quer saber em detalhes como foi desenvolvido a pesquisa acerca do cérebro, recomendo o livro do professor Pierluigi Piazzi, Inteligência em concursos. Você encontra uma descrição detalhada do processo nesta obra.

É melhor estudar escrevendo ou digitando?

Digitar cabe noutra ocasião, como no momento “aluno”, para tomar notas de aula por exemplo.

O professor Pier relatou em suas aulas o caso de um amigo, já formado, que dedicara 14 horas por dia de estudo, porém acabou frustrado por não conseguir lembrar, ao final da maratona, o assunto visto no início. O motivo? O amigo só lia e digitava no notebook.

Por sugestão do professor, copiou no caderno tudo o que havia digitado… Impressionado, contou ao mestre o resultado: – Incrível! Agora eu não consigo esquecer!

O ponto é estudar da melhor maneira, não a da moda do momento. E a melhor continua sendo a tradicional, como por exemplo o método de ditado e cópia. Países com o melhor desempenho em educação são tradicionais, como destaquei na página Objetivo.

Na prática, você faz a experiência e comprova: a velha dupla lápis/caneta e caderno não são coisas “ultrapassadas”. São recursos antigos que permanecem sendo os melhores. Indispensáveis aliás para o estudante. Confira o artigo Por que é melhor estudar sozinho? Entenda a razão, onde demonstro só ser estudante aquele que está escrevendo.

Lembrando que além de escrever, você deve fazê-lo com foco ou envolvimento nos estudos. Esta é a melhor forma.

Estudar escrevendo ou digitando? Saiba qual é a melhor forma.
5 (100%) 1 vote